Servidores aposentados da União têm até 30 de setembro para fazer prova de vida

Servidores aposentados e pensionistas da União que não fizeram a prova de vida ao longo de 2020 e no primeiro semestre de 2021, devido à suspensão do procedimento, têm até 30 de setembro para realizá-la. O mesmo prazo também alcança os anistiados políticos civis. A exigência foi temporariamente cancelada a partir de março do ano passado em razão da pandemia e só foi retomada no último dia 1º de julho.

A comprovação de vida é feita anualmente como uma das formas de atualização do cadastro dos vínculos do Executivo federal. A medida é cobrada pelo Ministério da Economia, por meio da Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal, órgão central de gestão de pessoas da administração pública.

“Os beneficiários têm até o dia 30 de setembro de 2021 para realizar a prova de vida referente ao ano de 2020 e ao período de janeiro a junho de 2021”, ressaltou a secretaria. Vale lembrar que o procedimento também garante a continuidade dos pagamentos dos benefícios previdenciários.

Como e onde realizar

O beneficiário pode realizar a prova de vida digital (por meio do aplicativo SouGov.br no celular), ou comparecer presencialmente com o seu documento de identificação à qualquer agência do banco onde recebe o pagamento.

Para a opção digital, é preciso ter a biometria cadastrada no TSE ou no Denatran. O procedimento será iniciado pelo SouGov.br e, em seguida, deverá ser realizada a validação facial no app MeuGov.br (que também precisa ser instalado).

Confira as datas para realização da prova de vida

Prova de vida do INSS suspensa até dezembro

O Senado aprovou nesta quarta-feira (11/08) projeto de lei que suspende até 31 de dezembro de 2021 a prova de vida exigida pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aos beneficiários da Previdência Social. O texto segue para sanção presidencial.

O projeto também determina que, a partir de 2022, todos os bancos deverão usar sistemas de biometria para realizar a prova de vida dos segurados e dar preferência máxima de atendimento para os beneficiários com mais de 80 anos ou com dificuldades de locomoção. O texto também autoriza que a prova de vida seja realizada por representante legal ou por procurador do beneficiário, legalmente cadastrado no INSS. A primeira via da procuração não será cobrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 10 =