Maioria dos trabalhadores da Ebserh aceita proposta do TST

No dia 21/06 foi realizada uma assembleia conjunta com os (as) trabalhadores (as) da Ebserh, em Minas Gerais – unidades de Belo Horizonte, Juiz de Fora, Uberaba e Uberlândia – para debater sobre a proposta apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

No último dia 11/06, durante reunião de negociação no Tribunal Superior do Trabalho (TST) entre as entidades representativas dos trabalhadores e a Ebserh, a ministra relatora propôs a suspensão do processo de Dissídio Coletivo de Greve – ajuizado pela Ebserh, até 31 de janeiro de 2022. Propôs ainda a prorrogação de todas as cláusulas atualmente vigentes até a assinatura do novo ACT ou o julgamento do Dissídio Coletivo de Greve e a retomada das negociações, a partir de fevereiro de 2022.

Após um intenso debate, os (as) trabalhadores (as) da Ebserh (62,3% dos presentes) decidiram por acatar a proposta de suspensão do processo de Dissídio Coletivo de Greve – ajuizado pela Ebserh, até 31 de janeiro de 2022 e a retomada das negociações, a partir de fevereiro de 2022.

Já a proposta de cumprimento do atual ACT, na íntegra, com garantia aos empregados do direito de usufruir do abono de dois dias foi aprovado por 98,9% dos trabalhadores presentes à assembleia. A proposta de prorrogação de todas as cláusulas atualmente vigentes até a assinatura do novo ACT ou o julgamento do Dissídio Coletivo de Greve foi aprovada por 90,6%.

Uma ressalva foi proposta durante a assembleia: que a aceitação das propostas esteja condicionada à reabertura do processo de negociação em fevereiro de 2022. Em caso de divergência entre trabalhadores e empresa e as negociações tenham de ser prorrogadas, que a Ebserh concorde com o dissídio coletivo. Tal proposta será encaminhada juntamente com as demais para a Condsef/Fenadsef.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dezesseis =