Quando o governo é pior que o vírus, a população se mobiliza na rua

Brasileiros e brasileiras irão enfrentar o medo da pandemia do novo coronavírus no próximo sábado (29) em atos de rua em todas as regiões do país para dizer que o Brasil não suporta mais ter Jair Bolsonaro como presidente. Depois de um grande intervalo, imposto pela pandemia, o país decidiu que o silêncio não o acompanha mais. Protestos eclodirão nas capitais e interior dos diversos estados com bandeiras como a defesa do serviço público, a não aprovação da Reforma Administrativa, auxílio emergencial de 600 reais, direito à vacina para todas as pessoas, fortalecimento do SUS, contra a fome, por uma política de geração de emprego e renda, contra os cortes na educação e pela vida acima dos lucros dos empresários.

Importante destacar que será obrigatório o uso de máscaras e o distanciamento social. Então é máscara no rosto, álcool na mão e luta por um Brasil justo para todos e todas! Em Minas Gerais estão confirmados atos em 35 cidades do interior tais como Alfenas, Bambuí, Barbacena, Caratinga, Divinópolis, Governador Valadares, Ipatinga, Itajubá, João Monlevade ,Juiz de Fora, Montes Claros, Ouro Preto, Poços de Caldas , Pouso MG, Teófilo Otoni, Uberaba Uberlândia , Varginha, entre outras. Em Belo Horizonte, a concentração acontece a partir das 10h, na Praça da Liberdade.

Vamos às ruas por um país digno de se viver. Não aguentamos mais esta realidade. Todos os dias, temos de lidar com um novo absurdo deste governo. Com uma política que tem gerado mortes e o caos econômico. E chegamos a conclusão que quando o governo é pior que a pandemia, ele também pode matar mais que o vírus. Por isso, não podemos mais ficar em nossas casas neste momento de mobilização. Bolsonaro tem que ser posto para fora da Presidência. Uma nova força irá gritar e construir a esperança de um Brasil melhor para todos e todas.

Desde que Bolsonaro assumiu a Presidência, no início de 2019, o Brasil recebe notícias diárias do desmonte de ministérios, órgãos, instituições e diversas políticas públicas, além de retrocessos aos direitos do povo trabalhador. Além disso, a política neoliberal implantada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, promoveu o desemprego, a miséria e a fome.

Com a chegada da pandemia e a má vontade e a incompetência deste governo para lidar com a situação, o cenário de caos se instalou. Mas, mesmo depois de um ano e mais de 454 mil mortes, o governo segue contra o isolamento social e em defesa do tratamento precoce já comprovado como ineficaz.

É um governo que está promovendo a matança em massa da população. E se não fizermos nada contra isso, muitos outros brasileiros e brasileiras irão morrer. É por esses e outros motivos pelos quais precisamos voltar às ruas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 19 =