Trabalhadores da Ebserh decidem por indicativo de greve

Diante do impasse no processo de negociação do ACT 2020/2021, os trabalhadores da Ebserh, presentes à Plenária Nacional da categoria, realizada no dia 27/04, aprovaram um indicativo de greve.  O indicativo foi aprovado por mais de 96% dos mais de 800 trabalhadores (as) presentes.

Até agora, de um total de 65 cláusulas apresentadas pelos empregados ainda em 2019, a empresa mantém rejeição a 52 pontos. Entre as cláusulas consideradas “inegociáveis” pelos empregados e que a empresa quer alterar estão temas como o índice de aplicação da insalubridade. A intenção da administração da Ebserh é alterar esse direito, o que pode significar redução salarial de até 27%. O impasse levou o ACT a ser mediado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Há mais de um ano, os trabalhadores tentam negociar os temos do ACT 2020/2021 com a Ebserh, porém, sem sucesso. A gestão da empresa alega que a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST) , orientada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, se nega a negociar com a categoria  – cujos trabalhadores estão na linha de frente do combate a pandemia do novo coronavírus nos hospitais universitários do País. Essa é a face cruel e injusta do governo Bolsonaro que não respeita aqueles que se arriscam diariamente para salvar vidas.

É, no mínimo, absurdo que a Ebserh corte a insalubridade daqueles que se expõem aos riscos, diariamente, para salvar vidas. Ainda mais em uma situação de total descontrole da pandemia como estamos vivendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 11 =