Secretaria Especial da Cultura produz dossiê para perseguir servidores

No último dia 17/04, foi veiculada uma matéria na Seção Painel, do Jornal Folha de S. Paulo, intitulada “Radicais da Secretaria da Cultura de Bolsonaro fazem dossiês para atacar servidores esquerdistas”. Que o assédio a servidores cresceu vertiginosamente no governo Bolsonaro, todos sabemos. O governo Bolsonaro adotou como prática o assédio e a perseguição contra aqueles cujo posicionamento político-ideológico não se alinha com os do governo.

Esse tipo de ação serve apenas para constranger e assediar o servidor no exercício de sua atividade, ameaçando a sua liberdade de expressão, sem considerar que uma filiação político-partidária, caso exista, em nada se mistura com a atuação profissional e a responsabilidade com os interesses públicos que devem ser o foco do trabalho.

O dossiê produzido pela secretaria especial de cultura “demonstra o imenso problema que os servidores estão enfrentando no atual governo em relação à falta de capacidade operacional para gerir políticas culturais e a existência de uma única obsessão: de alinhar o setor da cultura a um projeto ideológico autoritário, voltado para retirar, da pauta da nação, a diversidade cultural e a liberdade de criação e pensamento daqueles que não se alinham aos valores propostos
pelo atual governo”, destaca um documento divulgado por várias entidades que compõem o Fórum de Cultura.

O SINDSEP-MG repudia a atitude do governo, que mais uma vez, rasga a Constituição Federal ao tentar cercear os direitos políticos, bem como a liberdade de expressão dos servidores. Esse assédio institucional, que visa enfraquecer os servidores e criar instabilidade no setor cultural é inadmissível! Não podemos permitir o alinhamento do setor da cultura a um projeto ideológico autoritário, voltado para retirar, da pauta da nação, a diversidade cultural e a liberdade de criação e pensamento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 8 =