Trabalhadores da Ebserh, de Uberaba, realizam carreata contra o corte da insalubridade e a proposta da empresa

Pelo segundo dia, os trabalhadores da Ebserh lotados no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) protestaram contra o corte da insalubridade e a proposta da empresa apresentada no último dia 19/03. Conforme definido em assembleia, na semana passada, os trabalhadores do HC-UFTM farão manifestações diárias até 6ª feira, dia 26/03, para protestar contra essa atitude vergonhosa da empresa.

Os trabalhadores estão indignados com a gestão do HC-UFTM, que cortou a insalubridade, em percentuais que variam entre 20% e 30% de todos os setores, inclusive daqueles que estão na linha de frente do combate ao Covid-19.

Proposta quer dividir os trabalhadores

Não bastasse o corte da insalubridade, a empresa apresentou uma proposta que acaba por dividir a categoria. Isso porque a empresa propõe um reajuste linear de R$500,00 na tabela salarial vigente.

Entretanto, esse reajuste – que será aplicado somente em janeiro de 2022 – está condicionado à aprovação da mudança da base de cálculo do adicional da insalubridade, do salário-base para o salário mínimo.

Ao afirmar que tal proposta, caso aceita, beneficiaria diretamente mais de 15 mil empregados (as) a empresa quer colocar os funcionários da Ebserh uns contra os outros. Ou seja, os administrativos contra os assistenciais. Porque a partir da redução do adicional de insalubridade dos trabalhadores assistenciais é que a Ebserh concederia esse reajuste linear de R$500, 00 para os administrativos.

Isso é um absurdo, pois Se levarmos em consideração que os Acordos Coletivos de Trabalho (ACTs) devem contemplar todos os trabalhadores, então essa proposta está sendo benéfica apenas a uma menor parcela de profissionais, não ao todo.

 Assembleia

Diante disso é que os (as) trabalhadores (as) devem se mobilizar e participar ativamente da assembleia que será realizada no dia 26/03 (para todas as unidades da Ebserh em Minas Gerais) e REJEITAR essa proposta absurda e desrespeitosa da empresa.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =