Esclarecimentos sobre a vacinação de servidores

A despeito da denúncia veiculada pela imprensa de uma lista de 1852 servidores de vários municípios de Minas Gerais que foram vacinados irregularmente e que deu origem à Comissão Parlamentar de Inquérito, denominada CPI dos Fura filas, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a Diretoria Colegiada do SINDSEP-MG vem a público informar:

  • Os servidores compõem o quadro do Ministério da Saúde e Funasa cedidos ao estado e aos municípios estando lotados nas Superintendências/Gerências Regionais de Saúde;
  • Os trabalhadores realizam trabalho de campo, dentro de hospitais e unidades de saúde onde o risco de contaminação é alto;
  • Os servidores “de campo” como são chamados também visitam residências dando continuidade ao combate de outras doenças como dengue, febre amarela, Zika, Chikungunya entre outras que não pararam por causa da pandemia de Covid19. Esses trabalhadores viajam a municípios que enfrentavam surtos de Covid-19;
  • Desde 2020 o SINDSEP-MG tem enviado reiterados ofícios à Secretaria Estadual e Secretarias Municipais de Saúde, respectivamente, a fim de cobrar o respeito aos protocolos de segurança, o fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), para os servidores “de campo” que não deixaram de trabalhar durante a pandemia;
  • Desde que os governos federal e estadual, bem como as prefeituras municipais anunciaram a vacinação dos profissionais de saúde, o SINDSEP-MG vem cobrando um calendário de vacinação que contemple os trabalhadores dos Núcleos de Vigilância Epidemiológia, Sanitária, Ambiental, enfim, aqueles que trabalham com serviços considerados essenciais, expostos igualmente à contaminação pelo Covd-19, mas que não necessariamente trabalham dentro de hospitais ou unidades de saúde – grupos prioritários na vacinação.

Esclarecemos que esses profissionais foram convocados para a imunização, seguindo a recomendação do Plano Nacional de Imunização (PNI) e da própria Vigilância Epidemiológica do estado e municípios.

Em momento algum esses profissionais – sabendo do momento por que passa o nosso país onde o Covid19 já ceifou a vida de mais de 290 mil pessoas – passariam a frente dos grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

 

Diretoria Colegiada

SINDSEP-MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − nove =