Novo marco fiscal suspenderá concursos públicos, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em pronunciamento, que o governo tem compromisso com “auxílio, vacinação em massa, reformas” e, principalmente, “com o marco fiscal”, que vedará a realização de concursos públicos.

O ministro participou de um almoço com líderes do Congresso, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para discutir a extensão do benefício que ajudou famílias de baixa renda a se estabilizarem em meio à crise promovida pela pandemia da Covid-19, entre março e dezembro do ano passado.

As propostas de Emenda Constitucional (PECs) referentes ao ajuste foram sintetizadas, com o objetivo de se criar um novo marco fiscal, que será composto pela união do teto de gastos com a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O texto dispõe que as medidas de controle de gastos serão colocadas em prática se as despesas federais obrigatórias ficarem acima de 95% do total previsto. Em casos de emergência, o legislativo pode aprovar que a medida seja acionada quando as despesas chegarem a 85%.

Na prática, com o seguimento do texto, não poderão ser criados cargos ou empregos que aumentem as despesas, será interrompida a realização de concursos públicos e não haverá reestruturação de carreiras em caso de aumento de despesa. A redução de 25% dos salários dos servidores e da jornada de trabalho ficaram de fora da proposta. Esse tema já consta na PEC 186/19, a PEC Emergencial.

Como se pode perceber, s servidores públicos foram eleitos pelo governo Bolsonaro como os culpados pela crise por que passa o nosso país. Essas propostas de ataques ao serviço público são a granada que Guedes afirmou que iria jogar no bolso dos servidores.

Não podemos pagar pela crise!

#ForaBolsonaro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 3 =