Não é reforma! É o fim da estabilidade!

I RETIRADA DE DIREITOS I

O fim da estabilidade do servidor público é tema recorrente toda vez que se discute uma reforma administrativa. O assunto voltou ao centro do debate agora, quando o Ministério da Economia ensaia enviar uma proposta sobre o assunto ao Congresso. A medida enfrenta resistência no funcionalismo público.

Com a premissa de que os servidores tem cargo vitalício, que não são demitidos por conta da estabilidade, o governo quer atacar e retirar mais um direito, arduamente conquistado. Para começo de conversa, essa é mais uma das falácias amplamente divulgadas pela mídia, com o intuito de atacar servidores e favorecer aos grupos bilionários. Só no período de 2015 a 2019, 8 mil servidores federais foram demitidos. Quase 70% por corrupção. Dizer que o servidor público nunca é demitido não é real”, afirma o presidente honorário da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite), Roberto Kupski. Em segundo lugar, a estabilidade é uma garantia contra a ingerência política. É uma garantia de qualidade ao funcionalismo público. Sem o direito, quaisquer cabos eleitorais podem aparelhar a máquina estatal, mudando o quadro de servidores conforme o governante de plantão.

I NÃO CAIA NESSA I

A Reforma Administrativa é mais uma das falsas promessas de crescimento do governo. Já vimos isso anteriormente com a Reforma Trabalhista e a Reforma da Previdência. O crescimento econômico, a capacidade de girar a economia, passa, diretamente, pela segurança jurídica para os servidores, pelo investimento em qualificação, pesquisa e educação. Não é atacando o funcionalismo público e aliviando para bilionários que sairemos dessa situação. Diga #NãoAReformaAdministrativa

#ResistênciaSim #RetiradaDeDireitosNunca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × três =